Primeira lição de escrita com Ray Bradbury (O Zen e a Arte da Escrita)

"Entusiasmo. Prazer. Raramente ouvimos essas palavras! Raramente vemos pessoas vivendo e, no nosso caso, criando com base nelas! Ainda assim, se me perguntarem sobre os itens mais importantes no figurino de um escritor, as coisas que moldam o seu material e o impelem em direção ao caminho que ele deseja percorrer, eu apenas o aconselharia a olhar para o seu entusiasmo, para o seu prazer."

"Se você está escrevendo sem entusiasmo, sem prazer, sem amor, sem alegria, você é apenas meio autor. Significa que está tão preocupado em manter um olho no mercado, ou um ouvido no círculo de escritores de vanguarda, que não está sendo você mesmo. Talvez nem ao menos se conheça."

"A primeira coisa que um escritor deve ser é animado. Deve ser uma coisa de febres e entusiasmos. Sem esse vigor, seria melhor ele colher pêssegos ou cavar buracos; Deus sabe que isso seria melhor para a sua saúde. "


Primeira lição: as histórias nascem da sua indignação ou empolgação. 


Ás vezes nos perguntamos "de onde esse autor criou isso?", Ray conta duas histórias que criou a partir de situações cotidiana que lhe ocorreram e causaram tanta indignação que resolveu escrever sobre.


"O que você mais quer no mundo? O que você ama ou o que odeia? Encontre um personagem, como você, que vai querer ou não querer algo com todo o coração. Mande-o correr. Atire-o para fora. Depois o siga o mais rápido que puder. O personagem, em seu grande amor ou ódio, vai empurrá-lo até o final da história."


Comentários

Postagens mais visitadas