2 lembretes para se afetar menos com o que os outros pensam (people pleaser):

    Eu sou uma pessoa que se afeta excessivamente em qualquer discussão que tenho, fico ansiosa, tremendo, com taquicardia e passo dias sofrendo com a ideia de que as pessoas vão falar ou pensar coisas ruins de mim. O que acontece é que eu tenho na minha mente um sentimento muito forte de baixa autoestima, em que alimento a necessidade de agradar a todos e assim ver em mim um valor que eu mesma não vejo. Assim, quando ocorre algum desentendimento, eu fico muito abalada pois afeta diretamente a visão que tenho de mim, como se eu perdesse meu valor, não merecesse amor e achasse que nada do que faço tem importância. 

   Pra quem não sofre com isso você pode achar que é uma bobagem e surreal que alguém sinta tudo isso por uma discussão, mas só sabe o peso que tem quem sente, os outros que não passam por isso não vão entender, vão críticar que eu esteja me expondo dessa forma ou achar que estou fazendo isso pra chamar atenção.

   Foi entendendo que sou assim que comecei a buscar sobre pessoas que passam pelo o mesmo. Aceitar que eu sou uma pessoa que quer agradar a todos foi importante, pra eu começar a trabalhar a ideia de que não é o que os outros pensam de mim que vai definir meu valor. 

   Quem sofre com isso está sempre vulnerável à atenção dos outros de forma muito intensa. E com isso precisa passar por um trabalho constante de cultivar amor próprio e autoestima. 

   Viver assim é duvidar todos os dias se você é capaz das coisas, se o que você faz importa e dar mais peso para quem vai embora da sua vida do que pra quem fica.

   Dessa forma: vou colocar aqui alguns pensamentos importantes que têm me ajudado nessa caminhada:

1. O que você pensa de si, é muito mais importante do que o que os outros pensam de você:

Não vai ser a primeira nem a última vez que alguém vai te julgar, e que você vai achar injusto. Assim como você também, em algum momento julgará as pessoas. Mas nesses momentos, o que mais vale ter em mente é: o que você pensa de você mesma? 

No momento em alguém fala algo que te desagrada para você ou que você pensa ser sobre você, e você dá extrema importância a isso (para se justificar e fazer com que a pessoa não pense aquilo), parece que tudo que você sabe de  si tem menos valor do que o que aquela pessoa falou. 

E assim damos uma importância imensa para aquela coisa ruim que alguém disse como se você soubesse menos de si do que o outro. 

Você se conhece mais do que ninguém, e o que a outra pessoa pensa não está no seu controle, mas o amor que você pode doar a si mesmo está.

Eu só fui começar a pensar nisso há um mês, desde então é um exercício constante escolher quem merece tanto da minha energia e quem não. Entender que eu não preciso me justificar pra todo mundo, e que não vai estar no meu controle tudo que pensarem de mim. 

Aconteceu uma coisa semana passada e meu primeiro pensamento foi fazer um texto aqui falando sobre isso e papapopo, ai depois eu parei pra pensar "eu quero mesmo gastar tempo e energia escrevendo sobre isso agora? Pra provar o que? Pra quem?". Acho ótimo não ter twitter por isso, pelo menos as pessoas que eu via quando tinha só usavam a ferramente pra reclamar dos outros e se justificar sobre algo. 

Eu escrevo num diário, mando um áudio pra alguma amiga próxima, ou falo na terapia. Mas quero tentar selecionar o que externo na internet antes de colocar cada pequeno incomodo que vai apenas passar e depois nem vou lembrar mais. 

2. Não tenha medo de perder pessoas, tenha medo de se perder tentando agradá-las:

Quando nós não nos amamos o bastante, queremos encontrar nosso valor pelo valor que o outro dá ou não. Assim, empenhamos um esforço enorme em satisfazer o outro para que ele nos ame por nós.  O quanto eu já estive em situações humilhantes e desagradáveis pra mim só pra satisfazer outras pessoas daria uma série da Netflix. 

Agora imagina sentir isso por todo mundo? É impossível agradar a todos na Terra, e mais, simplesmente esse não é o seu objetivo de vida. O quanto de você não se perde quando você tenta ser o que todo mundo quer que você seja? 

Quando a gente entende melhor que algumas pessoas podem ir embora e nem sempre é sobre nós a vida parece ser menos doída. 

Quando a gente entende que não vai dar pra agradar a todos, não vai dar pra manter todos por perto, percebe que você não perde seu valor se alguém vai embora. 

Você só pode ser você mesma, e os outros também. Algumas vezes você vai estabelecer conexoes fortes e permanentes e outras vezes não. Olhar pra quem fica devia ser mais valioso do que pra quem vai. 

Comentários

  1. Esse texto foi bem sincero e me identifiquei completamente. Há anos venho sofrendo com isso, da mesma maneira que você. As vezes me pego sofrendo por algum erro que cometi há muito tempo atrás, como se eu fosse um lixo por ter cometido aqui, como se eu tivesse perdido uma pessoa que possivelmente poderia gostar de mim e não gosta mais porque sei lá, eu fiz um comentário infeliz. Coisas pequenas, sabe? Coisas que não fazem as pessoas deixarem de gostar de mim, mas que eu fico remoendo eternamente. Isso me atrapalha em níveis profundos, porque eu dependo MUITO da aprovação alheia e me escondo sempre com medo do que vão pensar ou falar. É horrível! Eu estou tentando seguir esses dois passos que você descreveu, mas também descobri que as as redes sociais são nocivas PRA MIM, então estou tentando focar mais na minha vida offline pra conseguir sentir o que realmente importa pra minha vida, sem tantas influencias externas. E é crucial entender que nossos perfis nas redes não somos nós, são apenas meios de comunicação.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas